quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Assista ao vivo o I Seminário Internacional de Logística





A Agência T1 transmite ao vivo o I Seminário Internacional - “Logística, Base para o Desenvolvimento Sustentável”, que ocorre no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís, Maranhão.

O evento, realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), começou ontem (29) e  termina hoje. O seminário discutirá modelos referenciais, experiências e propostas de soluções voltadas para o desenvolvimento e a melhoria da relação porto-cidade.

Todas as palestras, concluídas, estarão disponíveis no site da TV T1 (http://www.tvt1.com.br/).
Mais informações do seminário: (98) 3268-4147.

Confira a programação do segundo dia do evento:
8h10 – 8h30
Café da Manhã
8h30 – 9h - Abertura
Palestrante: Ministro Gastão Dias Vieira – Ministério do Turismo
9h – 9h30
Os eventos mundiais de esporte no Brasil e o desenvolvimento
Palestrante: Márcio Fortes – Presidente da Autoridade Pública Olímpica - APO
PAINEL III – Logística, Mobilidade e Transporte Multimodal para o Desenvolvimento Sustentável
Moderador: Pedro Fernandes Ribeiro, Secretário de Cidades do Estado do Maranhão
9h30 - 9h50
Obras estruturantes na região metropolitana de São Luís
Palestrante: José Max Pereira Barros, Secretário de Infraestrutura do Estado do Maranhão
9h50 – 10h05
A Importância do Estado do Maranhão como Vetor Logístico para o Agronegócio Brasileiro
Palestrante: Carlos Alberto Nunes Batista, Coordenador de Serviços de Infraestrutura, Logística e Aviação Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
10h05 – 10h20
O transporte multimodal e sua contribuição para o desenvolvimento da indústria brasileira
Palestrante: Auxiliadora do Rêgo Borges, Consultora da CNT e Assessora da Presidência da Federação Nacional das Empresas de Navegação Marítima, Fluvial, Lacustre e de Tráfego Portuário - Fenavega
10h20 – 10h40
A logística da VALE no Corredor Norte
Palestrante: Marcello Magistrini Spinelli, Diretor de Logística da VALE
10h40 – 10h50
Uma proposta de transporte público para São Luís
Palestrante: Diogo Pires Ferreira, Arquiteto da TMA Arquitectura, Mestre em Planejamento Urbano (EMU, TUD Delft, Holanda / UPC Barcelona)
10h50 – 11h10
Mobilidade urbana na cidade de São Luís
Palestrante: Arthur Cabral, Secretário Municipal Adjunto de Transportes da Prefeitura de São Luís
11h10 – 11h40
O exemplo de Bogotá - Transmilenio
Palestrante: Jaime Ortiz Mariño, Assessor da Prefeitura de Bogotá, Colômbia
11h40 – 12h
Debate aberto ao público
PAINEL IV – Turismo e Desenvolvimento Sustentável
Moderador: Tiago Pereira Lima, Diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários - ANTAQ
12h00 – 12h20
“Maranhão Único”- O Plano Maior 2020
Palestrante: Jurandir Ferro do Lago Filho, Secretário de Estado do Turismo do Estado do Maranhão
12h20 – 12h40
Cruzeiros marítimos no Brasil
Palestrante: Flávio Brancato, Diretor do Terminal de Passageiros do Terminal Marítimo de Passageiros Giusfredo Santini de Santos – CONCAIS
12h40 – 13h10
Port Vell, o acesso de Barcelona ao mar
Palestrante: Hugo Norberto Lejtman, Representante do Porto de Barcelona na América do Sul
13h10 – 13h30
Debate aberto ao público
13h30 – 14h30
Almoço
PAINEL V – Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável
Moderador: Pedro Brito, Diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários - ANTAQ
14h30 – 14h50
O novo cenário industrial do Maranhão
Palestrante: José Maurício de Macedo Santos, Secretário de Desenvolvimento, Indústria e Comércio do Estado do Maranhão
14h50 – 15h10
A formação de pessoas para o novo desenvolvimento
Palestrante: Professor Natalino Salgado Filho, Reitor da UFMA
15h10 – 15h30
A produção florestal e industrial em harmonia com o meio ambiente e as comunidades
Palestrante: Antônio Maciel Neto, Presidente do Grupo Suzano papel e celulose
15h30 – 15h50
A refinaria e seus impactos econômicos e sociais
Palestrante: Fernando Martinez, Gerente-Geral da Gerencia Executiva de Programas de Investimento da Refinaria Premium I
15h50 – 16h10
Debate aberto ao público
PAINEL VI – Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável – Parte II
Moderador: Eduardo Lirio Guterra, Vice Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes da CUT – CNNTT - CUT
16h10 – 16h30
Transformações de um empreendimento logístico
Palestrante: Antônio Queiroz, Diretor da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base - ABDIB
16h30 -16h50
Impactos socioeconômicos de um porto eficiente
Palestrante: Andreas Klien, Diretor do Grupo Multiterminais
16h50 – 17h10
Porto de Suape “Seus Impactos Regionais, Econômicos e Sociais”
Palestrante: Frederico da Costa Amancio, Vice Presidente de SUAPE
17h10 – 17h40
Gestão de sedimentos para manutenção de hidrovias
Palestrante: Rob Davinroy, P.E., Principal Consultant CDG ENGINEERS USA - River Engineering Division
17h40 – 18h
Debate aberto ao público
18h – 18h40
Convidado para o encerramento: Ministro Edison Lobão, Ministério das Minas e Energia
18h40
Coquetel de encerramento

Fonte : Agência T1

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Fundações Partidárias debatem “A crise no capitalismo e o desenvolvimento do Brasil”



O evento contará com transmissão on line realizada pela Fundação João Mangabeira (FJM)
 

A Fundação João Mangabeira (PSB) juntamente com as Fundações Perseu Abramo (PT), Leonel Brizola (PDT) e Maurício Grabois (PCdoB) realizam na próxima segunda feira (28.11), entre 09h30m e 21h, no Hotel Novo Mundo, no Rio de Janeiro, o Seminário “A crise no capitalismo e o desenvolvimento do Brasil”.

Personalidades políticas e referências no campo dos debates acerca de questões desenvolvimentistas e econômicas no cenário brasileiro, já confirmaram presença. “O objetivo do evento é debater a crise econômica internacional e o seu impacto na economia e no desenvolvimento do Brasil. É importante pensar os desafios de um país como o nosso”, destaca o presidente da Fundação João Mangabeira e primeiro-secretário Nacional do PSB, Carlos Siqueira.

Para intensificar o acesso e a participação das pessoas interessadas no tema e que não estarão participando presencialmente, a Fundação João Mangabeira irá transmitir o Seminário on line no endereço: www.tvjoaomangabeira.com.br

Confira a programação do evento:
Seminário: A crise no capitalismo e o desenvolvimento do Brasil
Local: Rio de Janeiro, Hotel Novo Mundo
Data:28 de novembro de 2011
Horário: 09h30m às 21h
Programa Preliminar
09:30 – 10:00 Abertura e apresentação da atividade: Nilmário Miranda Presidente da Fundação Perseu Abramo
10:00 – 13:00 A Crise Internacional
Expositores: Maria da Conceição Tavares, Luis Carlos Bresser Pereira, Carlos Lessa, Theotônio dos Santos (20’ cada)
Moderador: Carlos Siqueira - Presidente da Fundação João Mangabeira e primeiro-secretário Nacional do PSB
13:30 – 14:30 Almoço
14:30 – 17:30 O Brasil frente à crise – as políticas macroeconômicas
Expositores: Luiz Carlos Belluzzo, Carlos Alonso, Antonio Delfim Netto, Ricardo Bielschowsly (20’ cada)
Moderador: Adalberto Monteiro - Presidente da Fundação Maurício Grabois
18:00 – 21:00 O Brasil frente à crise – políticas desenvolvimentistas
Expositores: Márcio Pochmann, Tânia Bacelar, Wilson Cano, Nelson Barbosa (20’ cada)
Moderador: Manoel Dias - Presidente da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini
21:00 Encerramento

Fonte : Ascom/Pró Empresa 

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

XVII Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros






A Fenacor realiza a partir desta quarta feira (23.11) até sexta (25.11) o XVII Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros, cujo tema central é “Autorregulação: Realidade e Perspectivas”, no  Centro de Convenções Ulysses Guimarães, no Distrito Federal.

Para as pessoas que não puderem participar presencialmente, a organização do Congresso também irá transmitir o evento on line no endereço: http://www.fenacor.com.br A programação completa e palestrantes você pode conferir no mesmo link.

Paralelamente ao Congresso Brasileiro dos Corretores, será realizado o I Congresso Brasileiro de Saúde Suplementar, segmento que vem apresentando expressivas taxas de crescimento nos últimos anos, tendência que deve ser mantida por um bom tempo. O tema central desse evento será “Corretor de Seguros x Saúde Suplementar”.

Para os corretores e demais profissionais do mercado é uma ótima oportunidade para participar do mais tradicional e importante evento do mercado de seguros do Brasil, que discutirá questões relevantes para o dia-a-dia profissional do corretor de seguros.

Participe!


segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Seminário Nacional Desenvolvimento e Ferrovias



A Frente Parlamentar das Ferrovias do Congresso Nacional promove, no próximo dia 22 de novembro, o I Seminário Nacional Desenvolvimento e Ferrovias. O evento que acontece em Brasília, no auditório da Confederação Nacional dos Transportes, com início às 8h30, vai reunir lideranças políticas, empresariais e entidades do setor.

Segundo o presidente da Frente, deputado federal Pedro Uczai (PT/SC), no seminário pretende-se debater a importância da ferrovia na infraestrutura de transportes e na logística do país e, ao mesmo tempo, aliar as estratégias dos estados para o desenvolvimento desse importante modal de transportes.
Na programação do Seminário serão debatidos os temas: diagnóstico, estratégias, gestão e modelo do sistema ferroviário brasileiro.

Segundo Uczai, a intenção é elaborar um diagnóstico nacional das ferrovias e apontar os caminhos para o desenvolvimento deste modal de transporte.

“Nós queremos discutir estrategicamente a importância do modal ferroviário para o desenvolvimento da nação. Para tanto, acreditamos ser necessário um grande movimento que resulte no fortalecimento e aprimoramento da política nacional de transportes, tendo nas ferrovias um importante aliado, seja no transporte de cargas e passageiros”, destaca.

Para o presidente, as ferrovias são estratégicas para impulsionar o desenvolvimento do país. “O transporte ferroviários é mais barato, mais seguro e ambientalmente sustentável. Além disso, as ferrovias mantêm as empresas nas regiões e atraem novos investimentos nas cidades por onde passam os trilhos, e ainda, melhoram as nossas rodovias”, destaca Uczai.

OBS : A Pró Empresa transmite ao vivo o Seminário no endereço : http://www.tvt1.com.br/

As inscrições são gratuitas e poderão ser efetuadas pelo email: frentedasferrovias@gmail.com.
Vagas limitadas. Informações pelo telefone (61) 3215.1229


Fonte : Agência T1 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

‘1º Encontro do Sistema de Garantia de Direitos da Região Centro Oeste’




Bom dia ... continua hoje ‘1º Encontro do Sistema de Garantia de Direitos da Região Centro Oeste’ a Pró Empresa empresa transmiste on line. Acompanhe aqui: www.tvdoconselhotutelar.com.br

Palestras de hj:

9h 30m – Mesa Temática: Mobilização Nacional pelo Registro e Certidão de Nascimento Painelista: João Alves de Souza Junior – Coordenação de Promoção do Registro Civil de Nascimento – SDH – PR.

14h00m Mesa Temática: Políticas Sociais, Intersetorialidade e Conselhos Tutelares: Perspectivas e desafios

15h 30m Mesa Temática: O papel do Poder Legislativo no fortalecimento dos Conselhos Tutelares

Participe!!!!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Droga eleva colesterol bom e reduz o ruim

Pesquisa divulgada em congresso de cardiologia nos EUA nesta semana analisou a ação do remédio em 400 pessoas.


Médicos ainda temem possíveis efeitos colaterais; remédio similar está sendo testado no Brasil



Estudo apresentado nesta semana no congresso da American Heart Association, em Orlando, nos EUA, mostra que um novo remédio conseguiu aumentar os níveis do chamado colesterol bom, o HDL, e baixar as taxas do ruim, o LDL.

Quando combinado aos remédios já usados para baixar colesterol (estatinas), o evacetrapib mais que dobrou os níveis de colesterol bom e reduziu em até 35% o colesterol ruim, além de diminuir os triglicérides, outro indicador de risco cardíaco que é medido em exames de rotina.

O novo remédio pertence a um grupo de substâncias que inibem uma proteína responsável por transferir colesterol do HDL para o LDL, aumentando a proteção contra o entupimento dos vasos. O HDL funciona "limpando" o colesterol das artérias e o levando até o fígado. De lá, ele é eliminado do corpo.

Segundo Raul Santos, diretor da unidade de lípides do Instituto do Coração (InCor), um nível baixo de HDL é um sinal de risco de infarto. Resultados abaixo de 40 mg/dl para homens e 50 mg/dl para mulheres são um sinal de alerta, de acordo com as diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Remédios da mesma família do evacetrapib vêm sendo testados há alguns anos. O primeiro deles foi uma grande decepção para os médicos, afirma Santos, porque aumentou a pressão arterial dos pacientes e o risco de problemas cardíacos.

"Depois disso, foram desenvolvidas mais três moléculas que, até agora, não causaram esses efeitos." Um desses medicamentos, o dalcetrapib, está sendo testado no InCor por 20 pacientes, há dois anos. "Em 2013 devemos ter uma resposta sobre os efeitos da droga."

Os médicos ainda precisam determinar se o mecanismo usado pela droga para aumentar o colesterol bom pode prejudicar a pessoa a longo prazo. A proteína cuja ação é inibida pelo remédio para aumentar o colesterol bom pode ter uma ação protetora para as artérias.

"O efeito do remédio sobre o colesterol é ótimo, mas ainda não sabemos se isso vai prevenir eventos cardíacos", diz Santos.  O novo estudo, feito por médicos da Cleveland Clinic e publicado no "Journal of the American Medical Association", sugere testes maiores para comprovar os benefícios do remédio.

polêmica
Um outro estudo apresentado no congresso americano de cardiologia e publicado no "New England Journal of Medicine" levanta o debate sobre outra substância usada há mais de 50 anos para aumentar o HDL, a niacina.

A pesquisa analisou o impacto da substância em pessoas com LDL controlado (abaixo de 70 mg/dl). Segundo os autores e um editorial publicado na revista médica, o remédio deve ser aposentado, porque não aumenta o colesterol bom dos pacientes e causa vermelhidão da pele.

Segundo o cardiologista do InCor, no entanto, ainda é preciso esperar o resultado de um estudo maior, com 25 mil pessoas, antes de desistir do remédio. "Ele é seguro, está no mercado há décadas." 

Fonte : Folha de S.Paulo 

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

‘1º Encontro do Sistema de Garantia de Direitos da Região Centro Oeste’ terá transmissão on line







Acompanhe todo o evento pelo link www.tvdoconselhotutelar.com.br


A Pró Empresa faz a transmissão on line entre os dias 16 e 18 de novembro, a partir das 19h30, do ‘1º Encontro do Sistema de Garantia de Direitos da Região Centro Oeste’ realizado pela Associação dos Conselheiros e Ex-conselheiros Tutelares do Estado do Mato Grosso Do Sul (Acetems)  no link: www.tvdoconselhotutelar.com.br

O objetivo do evento é reunir gestores, especialistas e representantes da sociedade civil para discutir políticas e estratégias de fortalecimento do sistema de garantia de direitos de crianças e adolescentes. 

Ao longo do evento, os participantes irão formular e apresentar subsídios para o Plano Decenal e a Política Nacional de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes em discussão pelo governo e a sociedade civil, destacando as especificidades e demandas da população infanto-juvenil na região. 

Para tratar do plano e da política nacional para a infância e adolescência, a conferência de abertura será proferida pela secretária Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Carmen Silveira Oliveira.  

Além disso, serão realizadas palestras e mesas temáticas sobre a Política de Convivência Familiar e Comunitária; o Papel das Políticas Públicas de Proteção Social; Estratégias de Busca Imediata para Crianças Desaparecidas e a Mobilização Nacional pelo Registro e Certidão de Nascimento.

Entre os participantes também estarão no encontro os representantes da SDH: Marcelo Nascimento, coordenador do Programa de Fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos (SGD); Alice Duarte de Bittencourt, responsável pela coordenação do Direito à Convivência Familiar e Comunitária e João Alves de Souza Junior, da coordenação de Promoção do Registro Civil de Nascimento.

O encontro é financiado pela Petrobras e conta com apoio do Programa Escola de Conselhos - PREAE/UFMS, do Fórum Colegiado Nacional De Conselheiros Tutelares (FCNCT) e da Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania (SAS), contará com a presença de representantes do Distrito Federal e dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Confira a programação e participe!

PROGRAMAÇÃO:
16.11 (quarta feira)
  • 14h00m Credenciamento
  • 18h30m Abertura Oficial
  • 19h30m Conferência:  Políticas Públicas para Infância e o Plano Decenal – um olhar para o Centro Oeste. conferencista: Dra. Carmem Silveira Oliveira – SNPDCA - PR
  • 21h Confraternização

17.11 (quinta feira)
  • 08h00m Mesa temática: Crianças e Adolescentes desaparecidos, O QUE FAZER? LEI DA BUSCA IMEDIATA 11.259/06. Painelista: Alice Bittencourt – SDH – PR e  Representantes dos Estados do Centro Oeste
  • 08h45h – Debate
  • 09h 45m Mesa Temática: Protagonismo dos atores da rede de garantia de direitos e suas ações efetivas para a infância e adolescência. Painelista: Representante da Secretaria da Criança do DF
  • 10h0045 Debate
  • 12h00m - Encerramento
  • 14h00m - Mesa temática: Família, Proteção Social e o Direito à Convivência Familiar e Comunitária. Painelista: Alice Bittencourt – SDH - PR
  • 15h00m - Debate
  • 15h45m – Intervalo
  • 16h00m - Mesa temática: O fortalecimento dos Conselhos Tutelares enquanto política pública - o papel do governo e da sociedade civil. Painelista –  Marcelo Nascimento – SDH - PR
  • 16h45m Debate
  • 18h20m Encerramento

18.11 (sexta feira)
  • 08h00m – Mesa Temática: Ações da Petrobrás para Fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos. Painelista: Iva Valadares
  • 08h45m Debate com representante das Associações dos estados do Centro Oeste
  • 09h30m – Mesa Temática: Mobilização Nacional pelo Registro e Certidão de Nascimento .Painelista: João Alves de Souza Junior – Coordenação de Promoção do Registro Civil de Nascimento – SDH – PR. 
  • 11h00m Debate
  • 12h00m - Almoço
  • 14h00m Mesa Temática: Políticas Sociais, Intersetorialidade e Conselhos Tutelares: Perspectivas e desafios. Painelista: Antonio Sardinha e representantes das Associações dos quatro  Estados do Centro Oeste
  • 15h00m – Debate
  • 15h30m Mesa Temática: O papel do Poder Legislativo no fortalecimento dos Conselhos Tutelares . Painelista: Representante da Assembléia Legislativa do Mato Grosso do Sul
  • 16h30m Debate  - Representantes das Associações dos quatros Estados do Centro Oeste
  • 17h45m - Entrega Certificados
  • 19h00m - Comemoração do dia Nacional do Conselheiro Tutelar
 Fonte : Ascom Pró Empresa

CIÊNCIA E TECNOLOGIA : Haverá emprego para nós?





* Gilberto Dimenstein

A pergunta do título desta coluna não saía da minha cabeça enquanto eu assistia, sentado na plateia, à performance de um computador instalado no palco. Minhas sensações oscilavam entre o medo e o encantamento -e até, devo admitir, certo complexo de inferioridade.

Fui a um auditório, na semana passada, com a ilusão de assistir a uma vitória de humanos -ex-alunos de Harvard e do MIT- contra um computador. Era um teste de conhecimentos gerais, que abrangia de cultura pop a personagens históricos, passando por geografia.

A novidade não era o computador guardar tantas informações -cerca de 1 milhão de livros-, mas ele ser capaz de reconhecer as sutilezas da fala humana.

Até que os jovens se saíram bem, mas o computador, criação da IBM, batizado de Watson, é imbatível.

Enquanto me encantava com as possibilidades que aquela descoberta poderia produzir, ajudando profissionais -médicos, por exemplo- a tomar decisões, ficava imaginando quantos trabalhadores aquela máquina não iria pôr na rua.

Talvez minha sensibilidade estivesse aguçada porque, antes de entrar naquele auditório, eu tinha passado a manhã num seminário sobre o futuro do trabalho -e um dos personagens tinha sido o Watson.

Ninguém ali era contrário à inovação. Aqueles indivíduos sabem que, embora sejam cercadas de temor no início, pois provocam abalos nas velhas estruturas, as novas tecnologias logo geram diferentes empregos e prosperidade. Perguntavam-se, porém, se havia algo de novo no ar sobre a rapidez com que as máquinas vêm substituindo os seres humanos. Mesmo que a economia volte a crescer rapidamente, o emprego vai crescer? Isso significa o risco de piorar cada vez mais a distribuição de renda.

Um dos palestrantes era Andrew McAfee, pesquisador do Centro de Negócios Digitais do MIT, autor de um recém-lançado livro que está chamando a atenção do mundo acadêmico, cujo título é “A Corrida contra a Máquina”. Logo ele pede: “Por favor, não me confundam com esses tipos que têm medo de novas tecnologias”. Até porque, se fosse assim, ele não estaria naquele emprego.

Mas os números que ele tem coletado de economias em várias partes do mundo, especialmente nos Estados Unidos, trazem uma preocupação. Pergunto-lhe em que o temor dos trabalhadores de hoje é diferente do daqueles ingleses, que, na Revolução Industrial, destruíam as máquinas. A resposta: “O problema é que os computadores estão adquirindo cada vez mais rapidamente habilidades que eram essencialmente humanas”.

Segundo ele, a tendência deve afetar menos os que estão no topo da pirâmide educacional e os que estão na sua base: empregadas domésticas, garis, passeadores de cachorro, manicures. “Quem está no meio, ou seja, a maioria, vai sofrer.”

As novas invenções -e o tal Watson, com seu complexo sistema de reconhecimento de voz, é uma delas- radicalizam esse movimento e, em certos casos, superam com vantagem os humanos, segundo McAfee.

“Quantos empregados você conhece que podem guardar na memória o conteúdo de 1 milhão de livros e sabem encontrar a resposta certa quando indagados por uma voz?”, pergunta ele. Programas desse tipo estão sendo usados em escritórios de advocacia e vêm pondo na rua muita gente com diploma de ensino superior.

A cada dia, aparecem novidades sobre a capacidade de coletar, armazenar e selecionar dados. Aposta-se até que, com tantos dados gerados pelas redes sociais a cada segundo, seria possível prever o futuro – por exemplo, o que vai ser sucesso na música ou o surgimento de movimentos políticos. Haveria no mundo social leis semelhantes às leis físicas. Chegaram até a inventar a “econophysics” -o uso das leis da física aplicadas à economia.

Segundo McAfee, um dos problemas é a velocidade da mudança, o que dificulta o treinamento dos trabalhadores para novas demandas. As escolas e faculdades deveriam estar mais próximas do mercado de trabalho e fazer mudanças em seu currículo quase em tempo real.
Aí vai estar quem vê um Watson com medo ou encantamento.

PS – Já está em andamento a transformação do Watson num médico, capaz de ajudar no diagnóstico e até na medicação de pacientes. A ideia é que ele seja uma espécie de GPS para os médicos. Afinal, o robô vai ter na memória todos os casos de pacientes com doença semelhante e o tratamento dado a cada um, podendo comparar os resultados. No lado do encantamento, vejo isso como um jeito de ajudar no atendimento de pacientes, especialmente na rede pública. Como o câncer de Lula, graças ao seu tratamento de primeira qualidade, estimulou o debate sobre saúde pública no Brasil, invenções do tipo Watson mostram que, no futuro, será possível agilizar o atendimento e diminuir as filas. 

* Gilberto Dimenstein é colunista e membro do Conselho Editorial da Folha de S.Paulo, comentarista da rádio CBN, e fundador da Associação Cidade Escola Aprendiz. 

ROUPA ULTRA Acessório criado resiste a materiais radioativos

Uma empresa japonesa chamada Cyberdyne, que curiosamente tem mesmo nome da companhia fictícia da série de filmes O Exterminador do Futuro, apresentou um novo invento. Trata-se do exoesqueleto HAL, uma veste especialmente projetada para auxiliar no manuseio de materiais radioativos na Terra do Sol Nascente.

HAL ( foto reprodução)
A HAL é composta por partes robóticas que auxiliam na movimentação do usuário. É uma ótima saída, já que, ao contrário das vestes finas e leves que vemos nos noticiários, esta pode pesar até 60 kg. A diferença é originada no material utilizado: o invento leva em sua fabricação um composto de Tungstênio, que protege muito mais o corpo da radiação externa do que outros modelos com o mesmo fim.

O controle do movimento do exoesqueleto é feito pelo próprio cérebro. Sensores ligados aos músculos percebem os sinais elétricos enviados e, então, movimentam a HAL de uma forma muito parecida com uma perna ou braço de verdade. Assim, os tais 60 kg deixam de ser um problema para o usuário.

 Funcionamento das partes robóticas da HAL(Foto: Divulgação) 


A proteção extra proveniente do Tungstênio poderá ser muito bem aplicada para a limpeza de locais com alto nível de contaminação, como a usina nuclear de Fukushima, arrasada pelo terremoto do dia 11 de março deste ano. Mesmo compartilhando o nome da empresa que resolveu aniquilar a raça humana em O Exterminador do Futuro, esta Cyberdyne tem um foco muito mais louvável. Já há, inclusive, algumas unidades da roupa sendo utilizadas em hospitais e outras empresas.  

Fonte : Physorg

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Celular. Necessidade ou Vício?


A sensação de angústia por estar sem o aparelho pode ser indício de doença. 


Mãe empurrando carrinho com bebê que, sem ela perceber, atola nos buracos da calçada enquanto ela fala compenetrada ao celular. Pessoas atravessando a rua distraidamente e, por muito pouco, não são atropeladas por estarem prestando mais atenção na conversa ao telefone móvel. Alguns já devem ter presenciado essas cenas que ilustram muito bem como cada vez mais usuários estão se tornando totalmente dependentes desse aparelho telefônico.

Mas como identificar quando esta atitude pode ser considerada normal ou uma evidência de doença? Qual a diferença entre sofrer com a ausência do aparelho e ser completamente escravo dele? “Percebe-se quando o uso é excessivo quando a pessoa passa praticamente o dia inteiro fazendo e recebendo ligações e trocando mensagens, tem vários aparelhos, deixa de fazer tarefas básicas do cotidiano por não desgrudar do aparelho e sofre mal-estar quando esquece o celular em casa. Estes são fortes indícios de que o hábito virou uma doença”, revela Miriam Barros, psicóloga especialista em distúrbios do humor.

A patologia tem nome: nomofobia, que significa medo ou sensação de angústia de ficar incomunicável, estar longe do aparelho ou mesmo desconectado da internet. “Ultimamente essa fobia está sendo associada ao transtorno de ansiedade porque a pessoa chega a ter taquicardia e suar frio quando está longe do celular. São as mesmas sensações de quando se está no meio do stress, tristeza ou pressão no trabalho e se busca artifícios de escape como fumar, comer em excesso ou ingerir um chocolate para manter a calma. Isso mostra que é hora de procurar um médico”, alerta a psicóloga.

E como não cair nessa armadilha tão prazerosa, já que os celulares têm aparatos tecnológicos cada vez mais imprescindíveis para os nossos dias? “Preste mais atenção na vida que você está levando. É preciso dosar todas as atitudes no lar, trabalho, lazer e vida amorosa. Todas as atividades cotidianas têm que ser balanceadas e satisfatórias, incluindo uma atividade física que alivie as tensões”, recomenda a Dra. Miriam.

É inegável que o celular também é uma forma de nos acalmar e integrar em várias situações nesses tempos modernos, onde somos cobrados de tantas coisas. Neles dispomos de rádio, câmera, internet e tudo mais que dá uma sensação de ter controle de tudo e capacidade para resolver qualquer problema, incluindo as carências afetivas.  Por isso mesmo, como recomenda a Dra. Miriam, é importante ter cautela na sua utilização e lembrar que há algum tempo eles não existiam e mesmo assim mantínhamos contato com o mundo.

Fonte : Agência Envolverde

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Ciência - Nova técnica destrói câncer com luz



São Paulo- Em um estudo com potencial para revolucionar os tratamentos de combate ao câncer, pesquisadores americanos conseguiram destruir tumores em ratos utilizando luz.

De acordo com o estudo publicado na Nature Medicine, há grandes chances de o tratamento funcionar em humanos. A grande vantagem da terapia fotodinâmica desenvolvida pelos cientistas do Instituto Nacional do Câncer, nos Estados Unidos, é que ela não danifica células saudáveis. Por combinar anticorpos com moléculas “destruidoras” de tumores, ela ataca somente o tecido maligno, deixando o restante do corpo intacto.

Os anticorpos são os agentes do nosso sistema responsáveis pela defesa do organismo. No caso do câncer, embora nem sempre consigam combatê-lo, eles conseguem reconhecer algumas proteínas no exterior das células do tumor e se ligam a elas.

Os pesquisadores pegaram anticorpos específicos para câncer de mama, pulmão, pâncreas, cólon e próstata e os ligaram a uma molécula especial que, quando exposta à luz infravermelha, danifica as células. Essa molécula, chamada IR700, tem ainda a vantagem de ser fluorescente – de forma que os pesquisadores conseguiam acompanhar sua evolução dentro do organismo de um rato usado em testes.

Dois tumores foram implantados no roedor. Ele recebeu os anticorpos combinados às moléculas, e eles se ligaram às células cancerígenas. Um dos tumores estava coberto, de forma que a luz infravermelha não o atingiria, enquanto o outro permaneceu exposto. Um dia após o tratamento com a luz, o tumor não exposto estava significativamente menor (imagem ao lado: esquerda, antes do tratamento. À direita, dentro do círculo amarelo, o tumor não coberto). Isso significa que não apenas os anticorpos se ligaram ás células cancerígenas, como as moléculas presas a eles foram ativadas pelas ondas infravermelhas e destruíram o tumor.



A pesquisa, liderada por Hisataka Kobayashi, ainda precisa ser aprimorada e testada em humanos, mas pode ser uma alternativa à quimioterapia e à cirurgia. 

fonte : Revista Info on line 

TV previdência fará transmissão on line do 5º Seminário Norte Abipem






A TV previdência transmite  até o dia 11 de novembro, durante todo o dia, o 5º Seminário Norte Abipem direto do auditório do Ceta Eco Hotel em Macapá, local do evento. Além da participação no local, os interessados de outros estados que não puderam estar presentes podem acompanhar as palestras e toda a programação do evento acessando o link: http://www.tvprevidencia.com.br

O 5º Seminário Norte Abipem objetiva discutir sobre a reestruturação e fortalecimento dos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS), abrangendo os preceitos de toda legislação previdenciária vigente proporcionando aos gestores, servidores públicos e interessados na área, um aprimoramento dos conceitos de RPPS e suas consequências, tanto para seu servidor, como também para a administração em geral.

Temas como: Orientação e Supervisão dos RPPS, questões atuais nos benefícios dos RPPS, divisão de Compensação Previdenciária do INSS/MPS, Gestão dos Benefícios de aposentadoria por invalidez e auxílio doença serão apresentados e debatidos com referências na área.

A participação por chat também será possível durante todas as palestras. Assim os participantes poderão enviar perguntas e enriquecerem também o debate e a interatividade do evento. A programação completa com os temas, horários e os palestrantes do 5º Seminário Norte Abipem você pode conferir no site www.abipem.org.br

Não perca essa oportunidade, pois a sua participação é importante para o sucesso do evento. 

Fonte : Ascom/Pró Empresa 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Fundação Herbet Daniel debate a ”As cidades e a Violência Urbana”

A mesa redonda terá transmissão on line

A Fundação Herbet Daniel realiza na quarta feira (09.11) a mesa redonda com o tema ''As cidades e a Violência Urbana''. O evento será no anfiteatro nº 01 da Fundação Universa, SGAN 609 Módulo A - L2 Norte - Brasília - DF, das 10h às 13h.

Além da possibilidade presencial, o evento também será transmitido ao vivo na Internet. Os interessados em acompanharem devem acessar os seguintes endereços: www.pv.org.br  www.fvhd.org.br e www.protv.inf.br

A intenção da Fundação é aprofundar as discussões sobre os problemas relacionados à violência que acomete a população dos centros urbanos diariamente e terão como base o documento Mapa da Violência que pode ser acessado em www.mapadaviolencia.org.br

O estudo traz um diagnóstico sobre a questão da violência com os jovens do Brasil, acidentes de trânsito, radiografia dos homicídios, estatísticas municipais desde 2008 e um parâmetro de tais questões em toda a América Latina.

Todas as trocas e falas postas e comentadas no evento também servirão de fontes de informação e ideias que são transformadas em textos para capa e conteúdos da publicação trimestral da Fundação, a Revista ‘Pensar Verde’.

O moderador e diretor da Fundação Herbet Daniel, Marcos Mroz recebe os debatedores convidados que são:
• Luís Antônio Francisco de Souza - Doutor em Sociologia e professor da Unesp e coordenador do Observatório de Segurança Pública da Unesp.
• Julio Jacobo Waiselfisz, do Instituto Sangari, que elaborou o Mapa da Violência 2011
• Roberto Lucena - Deputado Federal PV/SP
• Haydee Caruso - Representante do Núcleo de Estudos sobre Violência e Segurança - NEVIS e Professora da UNB
• Deputado Federal Fillipe - Ex-prefeito de Diadema/SP - a confirmar
• Eduardo Brandão - Secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do DF;
• Regina Miki - Secretária de Cidadania e coordenadora do PRONASCI, do Ministério de Justiça -

A troca de informação por chat também será possível. Assim os participantes poderão enviar perguntas e enriquecerem a interatividade do evento. Outras informações também podem ser obtidas nas redes sociais da FVHD e no site do Partido Verde no endereço www.pv.org.br

Participe!

Fonte: Secretaria de Comunicação do PV

 

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Laser detecta Whisky falsificado


Apenas uma gota de whisky é suficiente para que cientistas digam se a bebida é ou não falsificada, quem a fabricou, qual a sua idade e em que tipo de barril ela envelheceu.

Todas essas informações podem ser coletadas graças à nova técnica desenvolvida por pesquisadores na Universidade St. Andrews, na Escócia (onde mais?).

A equipe liderada por Praveen Ashok, Kishan Dholakia e Bavishna Praveen garante que, com um fino feixe de laser, é possível analisar o whisky e detectar diversas características. 

O aparelho é um pequeno chip plástico transparente, menor que um cartão de crédito; com o whisky colocado dentro dele, fibras ópticas da espessura de um cabelo humano iluminam a amostra com um laser. Esse método pode detectar, por exemplo, a quantidade de álcool – e, segundo os pesquisadores, o whisky genuíno deve ter 40%. O segredo está na análise da luz depois de passar pela bebida: qual é a sua fluorescência, como a luminosidade se espalhou e qual a mudança de energia com a interação das moléculas. Essas informações, combinadas à cor e textura, estão diretamente ligadas à fabricação da bebida – o que significa que, por comparação, seria possível saber que a produziu (ou, pelo menos, descartar que seja genuína).

Segundo a Universidade de St. Andrews, a pesquisa, que já foi patenteada, está sendo apresentada para a indústria.

Fonte : Info on line 

Google+ abre espaço para empresas e amplia disputa com Facebook

Pelo menos quatro empresas que atuam no Brasil começam a divulgar hoje sua entrada no Google+, rede social do Google, que abriu espaço para perfis corporativos, em meio à disputa com o Facebook pela audiência nas redes sociais e na internet.

São elas Guaraná Antarctica, Gol, Unilever e Walmart -que não revelam o valor do investimento realizado.

A permissão para que companhias entrem na rede social, lançada para pessoas físicas há quatro meses, foi dada ontem no fim da tarde.

"Nossa estratégia em mídias sociais no país acontece há três anos. Queremos também essa nova rede", diz Roberto Wajnsztok de Oliveira, diretor de marketing e novos negócios do Walmart Brasil.

A companhia pretende postar ofertas de produtos e "falar com o consumidor".

Uma das ferramentas do Google+ que mais interessam às empresas é o "hangout", que possibilita videoconferências ao vivo conectando um interlocutor (no caso, a companhia) a vários outros (os consumidores).

"Não acreditamos em uma rede social que seja definitiva. Agora, o Google nos oferece boa ferramenta para reforçar a identidade do consumidor com a nossa marca", afirma Roberto Martini, presidente e chefe de criação da agência CuboCC, responsável pela estratégia digital de 11 marcas da Unilever. 



Neste primeiro momento, apenas a marca Axe (desodorante), voltada ao público mais jovem, terá página na rede. A Axe também está presente no Facebook e no MSN.

Um dos desafios do Google+ é ganhar seguidores. E a quantidade de usuários tem relação com o sucesso das estratégias de comunicação das empresas nas mídias sociais.

NÚMEROS

Até agora, 40 milhões de pessoas físicas utilizam a nova rede no mundo todo -no Facebook, são quase 770 milhões (veja quadro).

"Apostamos no crescimento da rede, afinal, quem está nisso é o Google, nenhuma "startup" [empresa iniciante]", diz Thiago Hackradt, gerente de marketing digital da Guaraná Antarctica.

"Seja como for, é mais um canal para colocarmos a marca em contato com os viajantes", diz Florence Scappini, diretora de marketing, comunicação e inovação da Gol.

O Google afirma que o aumento do número de usuários "vem com o tempo", inclusive no Brasil.

"É importante aprender com o usuário para que ele se sinta estimulado a participar do que a rede tem a oferecer", afirma Bradley Horowitz, vice-presidente de produtos do Google. 

Fonte : Folha on line

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

TERRAMÉRICA – A ecomobilidade ganha terreno

Cidades de todo o mundo se aventuram em um território novo, a “ecomobilidade”, ou mobilidade sustentável: o transporte sem veículos particulares. 


Sistema de bicicletas compartilhadas em Changwon, Coreia do Sul


Berlim é uma grande capital de um país famoso por seus excelentes automóveis, mas já não suporta a manutenção das ruas, e seus habitantes usam cada vez mais o transporte público, a bicicleta e, sobretudo, seus próprios pés. Berlim não é a única. Paris, Tóquio, Seul, Bogotá, Nova York e outras grandes cidades não podem enfrentar os custos, a poluição, o ruído e o congestionamento de mais e mais automóveis. E estão explorando um território novo, a “ecomobilidade”, ou mobilidade sustentável: o transporte sem veículos particulares.

“A ecomobilidade não é apenas caminhar, pedalar ou usar o transporte público. Trata-se de esses sistemas funcionarem juntos: a chave é conectividade”, explicou o colombiano Guillermo Peñalosa, ex-diretor de parques e recreação de Bogotá, aos presentes no congresso EcoMobility Changwon 2011, realizado este mês nesta cidade da costa sudeste da Coreia do Sul. O Congresso Mundial sobre Mobilidade para o Futuro de Cidades Sustentáveis foi organizado pela prefeitura desta cidade e por Governos Locais pela Sustentabilidade, uma aliança de autoridades de mais de 1.220 cidades de 70 países.

“A famosa Times Square de Nova York agora é um calçadão para pedestres. Quem teria pensado nisso há três anos?”, pergunta Guillermo ao Terramérica. “E, só há cinco anos, quem teria pensado que Paris teria mais de 22 mil bicicletas compartilhadas graças a esse sistema de grande sucesso?”, acrescentou Guillermo, diretor-executivo da 8-80 Cities, uma organização não governamental de Toronto, no Canadá, que promove a caminhada, o ciclismo e as trilhas e parques urbanos como formas de melhorar a vida nas cidades. “Temos que construir as cidades em torno das pessoas e não dos carros”.

Segundo a ecomobilidade, as pessoas e os bens podem ser transportados em zonas urbanas com uma combinação de meios: desde caminhar e pedalar até usar bicicletas elétricas, patins de rodas, transporte público e veículos elétricos leves. A ideia é buscar formas mais baratas, efetivas e sustentáveis de transporte. “As cidades devem se preocupar mais em mover as pessoas do que em mover os veículos”, disse o prefeito da australiana Adelaide, Stephen Yarwood.

Na verdade, os carros não são muito bons para transportar pessoas. Uma rua comum de qualquer cidade, com 3,5 metros de largura, suporta a passagem de até duas mil pessoas em automóveis por hora. Pela mesma via, e no mesmo tempo, podem passar 14 mil ciclistas e 19 mil pedestres. Um trem rápido nesse mesmo espaço poderia transportar 22 mil pessoas, e duas pistas de ônibus de trânsito rápido levariam 43 mil passageiros, disse Manfred Breithaupt, diretor do Projeto Transporte Urbano Sustentável, uma organização não governamental alemã.

O transporte automotivo é responsável por lançar na atmosfera entre 25% e 30% dos gases causadores do efeito estufa. Entre os meios de transporte, os carros e as motocicletas são de longe a maior fonte de dióxido de carbono por quilômetro por pessoa, destacou Manfred. Caminhar ou andar de bicicleta não produz gases-estufa. Conseguir que as pessoas abandonem seus carros é um enorme desafio.

Em primeiro lugar, pela interminável e multimilionária publicidade da indústria automotiva, que massacra os consumidores com a ideia de que comprar um automóvel é o caminho mais rápido para o sucesso, o prestígio e outras bobagens, afirmou Manfred. “As montadoras atacam o transporte público com seus anúncios. Alguém me contou que em seu país uma publicidade sugere que viajar de metrô tem certo tipo de “fedor subterrâneo”, acrescentou.

Na América do Norte, o custo de ter e usar um carro varia entre US$ 8 mil e US$ 12 mil por ano, segundo os clubes de automobilistas. Isto pode representar entre 25% e 50% da renda anual de uma família média, e ilustra até que ponto tem êxito a publicidade. “Por qual outro motivo gastaríamos 20 vezes mais do que o necessário para nos locomover?”, questionou Guillermo. Esta realidade está mudando na Alemanha. “Mais de 80% dos jovens não sentem necessidade de ter um carro”, disse Bernhard Ensink, secretário-geral da Federação Europeia de Ciclistas, com sede em Bruxelas.

A propriedade de veículos particulares na Alemanha e em outros países europeus está caindo lentamente, porque existem meios mais simples e baratos. A mobilidade é também uma questão moral, segundo Bernhard. “Quem suporta os impactos negativos dos automóveis? Jamais os motoristas, e sim o restante do público, em especial os pedestres pobres que vivem em cidades feitas para circulação em carros”, argumentou. Por exemplo, os acidentes de trânsito nos quais morrem diariamente milhares de pedestres e ciclistas em todo o mundo. Esta é a primeira causa mundial de mortes entre jovens de 15 a 29 anos.

No entanto, adotar a ideia da ecomobilidade é difícil, disse Yeom Tae Young, prefeito de Suwon, cidade próxima a Seul. “Os cidadãos devem conhecê-la, e os compromissos do governo devem ser claros”, afirmou o funcionário aos participantes do congresso. Suwon, uma antiquíssima cidade, com pouco mais de um milhão de habitantes, compete com Changwon na corrida para ser a mais verde e de menor pegada de carbono da Coreia do Sul. Nem todos aceitarão os inconvenientes, mas o público apoiará as mudanças se entender que são por um bem maior. “Não podemos fechar os olhos ao desafio da mudança climática”, concluiu. 

Fonte : Envoverde 

2014 Atraso em obras da Copa gera extra de R$ 720 milhões

Valor se refere a turnos adicionais criados para evitar estouro maior de prazo. Dezesseis estádios e aeroportos deverão ser erguidos em 'regime de urgência', o que inclui expediente noturno

 Operários do turno da noite trabalham em obra do futuro estádio do Corinthians em Itaquera, na zona leste de São Paulo (Fabio Braga/Folhapress)


Os atrasos nos projetos de estádios e aeroportos vão fazer o país gastar, no mínimo, R$ 720 milhões a mais para realizar a Copa do Mundo de 2014. O montante seria suficiente para a construção de um novo estádio.
O valor se deve à despesa adicional com turnos extras de trabalhadores (incluindo expediente noturno) para que as obras não estourem ainda mais o prazo.

O "regime de urgência" implica um custo extra de 8%, segundo indicam as planilhas dos estádios do Mundial.
Nove arenas e sete aeroportos já são, ou deverão ser, erguidos em esquema de três turnos, varando a noite.
Esses projetos somam R$ 9 bilhões -incluídos os R$ 720 milhões de despesa adicional devido ao atraso. Entre eles está o Itaquerão, com obras noturnas já contratadas.

Segundo os órgãos de fiscalização e controle, quando a obra tem que ser feita de forma urgente, há redução em custos com locação de maquinário, por exemplo, devido ao menor tempo de uso. Por outro lado, há acréscimos nos gastos com energia e aluguel de equipamentos para iluminação. Na prática, reduções e acréscimos se anulam.

O que pesa no aumento dos custos são os encargos trabalhistas. Num empreendimento normal, o valor gasto com encargos equivale a 113% do salário do trabalhador da construção civil, segundo estudos de órgãos de controle. Quando há turnos extras e à noite, esse índice vai a 145%.

José Roberto Bernasconi, presidente do Sinaenco (Sindicato da Arquitetura e Engenharia), diz que cada obra terá acréscimos de custo específicos e que dificilmente alguma deixará de tê-lo. "Faltou controle para a gestão, o tempo foi perdido." Em alguns casos, o atraso dos projetos passou de dois anos.

Obras noturnas já estão sendo adotadas em metade dos 12 estádios da Copa. Em todos eles, o preço para a execução de forma urgente já estava previsto na licitação. Outros dois estádios, Beira-Rio (RS) e Arena das Dunas (RN), em que a construção está em estágio inicial, consideram provável o turno extra. Manaus diz que pode usá-lo.

Apenas os responsáveis pelo Mineirão (MG), Arena Pantanal (MT) e Arena da Baixada (PR) descartam hoje o "regime de urgência". No caso dos aeroportos, em pelo menos sete o valor será elevado pelos atrasos.

Um alerta já foi dado pelo TCU (Tribunal de Contas da União). O preço da construção do Terminal Remoto de Guarulhos (SP), uma das várias obras projetadas para o aeroporto, será no mínimo R$ 15 milhões acima do normal.

O aumento de custo deve acontecer com outros projetos da Infraero. Alguns estão previstos desde a década de 90, mas não foram iniciados.

O presidente da Infraero, Gustavo do Vale, diz que foi decisão do governo adotar a urgência em Guarulhos. "Se fosse pelo ritmo normal, a obra ficaria pronta em junho de 2012 e teríamos problemas no fim do ano. Mas será o único contrato emergencial."


Copa mais cara


Fonte: Folha de S.Paulo 

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Programa 'Em Movimento' reapresentará discussão sobre as motos no trânsito


Nesta quinta-feira, 3 de novembro de 2011, a partir das 16 horas, o programa de entrevistas da ANTP TV, 'Em Movimento', reapresentará o programa 'As motocicletas no trânsito'.





O programa ainda contará com a participação de Moacyr Alberto Paes, diretor executivo da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

O comando do programa é do jornalista José Márcio Mendonça. Por ser um programa gravado antecipadamente, não será possível a participação do público, porém se você se interessa pelo tema é uma ótima oportunidade para ver e ouvir ideias e debates para melhorar a logistica de transportes para motociclistas e ciclistas

Acesse o ambiente virtual da ANTP TV no site www.antptv.com.br

Fonte:Informativo ANTP

terça-feira, 1 de novembro de 2011

China produz proteína humana em arroz


Em estudo, cientistas conseguiram grãos com alto teor de albumina, importante para a indústria de remédios


Ideia não é consumir o produto, mas processar a colheita para obter a substância; agora virão testes de segurança



SABINE RIGHETTI

Cientistas chineses conseguiram obter uma proteína humana amplamente usada pela indústria farmacêutica a partir de arroz transgênico. Os pesquisadores desenvolveram um tipo de arroz que tem 10% do seu conteúdo proteico formado pela versão humana da albumina, encontrada no sangue.

Essa substância é utilizada em grande escala -cerca de 500 toneladas por ano- para produção de vacinas e remédios e para o tratamento de queimaduras e de cirrose.

O problema é que a albumina é obtida atualmente por doação de sangue e cultivada em soro. Isso dificulta seu uso em larga escala e aumenta o risco de contaminações, por exemplo, por vírus.  Por isso, os chineses resolveram produzi-la no arroz. O trabalho está publicado hoje na revista científica "PNAS".


BIOFÁBRICA 


"O objetivo desse tipo de transgenia é usar plantas como veículos para a produção de medicamentos", explica Francisco Aragão, da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Ele coordenou o grupo que desenvolveu o feijão transgênico brasileiro, aprovado em setembro para uso comercial.

"As plantas têm se mostrado eficazes para produzir proteínas de interesse. Sai mais barato, reduz o risco de contaminação e aumenta a produção", defende o cientista. No caso, os chineses conseguiram extrair 2,75 g da proteína humana por quilo de arroz transgênico. Agora, os pesquisadores vão avaliar o uso comercial da albumina do arroz -o que pode levar cerca de dez anos.

"Mas os chineses já adiantaram que a composição físico-químico da proteína do arroz é tão efetiva quanto a da extraída do sangue." Outra questão a ser analisada é a forma de cultivo do arroz transgênico com proteína humana para que a planta não caia na cadeia alimentar. De acordo com Aragão, a dificuldade é que o arroz tem polinização aberta e, por isso, pode facilmente "contaminar" outras plantações.

"Mas o cultivo pode ser feito em estufas. Isso já acontece em Cuba, com plantas transgênicas para produção de proteínas usadas em vacinas", explica Aragão. 

Esse tipo de transgenia também está sendo feito no Brasil. O grupo de Aragão tem estudado a produção de proteínas no alface e na soja. Diferentemente do feijão transgênico desenvolvido na Embrapa, resistente a uma praga (o vírus do mosaico dourado), o arroz transgênico chinês não será comido.

Mas outro tipo de arroz transgênico está em vias de aprovação naquele país -o que será inédito no mundo. No Brasil, o arroz transgênico para uso comercial, desenvolvido pela Bayer, foi retirado da pauta da CTNBio (Comissão Nacional Técnica de Biossegurança) em 2010.

Fonte : Folha de S.Paulo